Comunicado da Psicotropicus - Leia com atenção

O website da Psicotropicus ficará um tempo fora do ar. Esta decisão decorre de as informações sobre a organização estarem há muito desatualizadas, e o grupo que a dirige estar passando por um processo de transição.

A primeira versão de nosso website lançada em maio de 2004 causou um frisson por denunciar a chamada Guerra às Drogas e trazer à tona o fracasso do proibicionismo, incentivando o debate sobre a legalização responsável da maconha e outras drogas, à qual éramos e somos favoráveis. A polícia e o MP tentaram encontrar indícios de apologia para barrar o movimento, mas deram com a cara na parede. Nunca incentivamos o uso de drogas ilícitas ou lícitas. Pelo contrário, trabalhamos para conscientizar quem as consome sobre os possíveis riscos e danos, visando ao bem estar e à saúde de todos.

Em sua primeira versão, nossa Home Page trazia um formulário dirigido à Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado, pedindo que a Lei no. 11.343/2006, sancionada mais tarde pelo ex-presidente Lula, fosse rejeitada. O tempo provou que estávamos certos. Hoje as cadeias estão entupidas de usuários acusados injustamente de “traficantes” – uma palavra que refere tanto àqueles detidos com um punhado de “droga” até os que produzem e movem toneladas. Ou seja, uma palavra que não informa nada e que, portanto, deveria ser usada com muito critério.

Por muitos anos, mantivemos uma informação atualizada, sempre em defesa do fim da “guerra às drogas” e dos direitos humanos e das liberdades individuais dos que fazem uso delas. Fizemos campanhas intensas para incentivar o debate e retirar o assunto da marginalidade. Atacamos o tabu de frente, mas com um apoio midiático muito pequeno. Falar de drogas no início dos anos 2000 não era de bom tom, coisa de drogados. Hoje, graças a esforços como os nossos e de outras organizações, a situação é completamente diferente.

Enquanto não voltamos com nosso website atualizado, estaremos ativos no Psicoblog, abordando os assuntos que envolvem as drogas lícitas, ilícitas e controladas, no Brasil e no mundo. Divulgaremos eventos e o ativismo de nossos aliados. E contaremos histórias da Psicotropicus: entre muitas outras, você ficará sabendo das campanhas “Dê uma Chance às Drogas” (2004) e “Libertem as Plantas” (2005). E se ainda não conhece, saberá como foi criado o outdoor “O tráfico é contra a legalização da maconha. E você?”, exposto em outubro de 2004 na saída do metrô de Botafogo.

Também contaremos histórias da Redução de Danos no Brasil, esse modelo contemporâneo e eficiente de levar saúde e prevenção às pessoas que usam drogas; e teremos muitas vezes como pano de fundo de nossas reivindicações o reconhecimento da importância da participação destes usuários na formulação dos programas e das políticas que lhes dizem respeito. Afinal, são os principais interessados, embora ainda em estágio inicial de organização em nossa região.

Resumindo, daremos sequência à nossa análise crítica do festival de besteiras que assola o país quando o assunto é drogas, particularmente alimentado pelo jornalismo mal informado e por profissionais inescrupulosos que querem manter o status quo para se aproveitar do sofrimento do dependente e de sua família para ganhar dinheiro.

Não deixe de acompanhar o Psicoblog.